Ansiedade: o que é e como combatê-la para ter uma melhor qualidade de vida
Ansiedade: o que é e como combatê-la para ter uma melhor qualidade de vida

Ansiedade: o que é e como combatê-la para ter uma melhor qualidade de vida

 

A ansiedade vem piorando a qualidade de vida de milhares de pessoas. Saiba como identificar e combater esse problema que tem feito cada vez mais vítimas.

 

A ansiedade é um problema grande e que vem atingindo cada vez mais pessoas no mundo inteiro. Isso dá-se pelo mundo corrido, no qual as pessoas entram em um estado frenético e esquecem a beleza das coisas mais simples da vida. Olhar com atenção para este problema, fará com que, caso você o tenha, consiga tratá-lo para ter uma melhor qualidade de vida ou consiga ajudar alguém a sua volta que sofra com isso. Vamos saber mais?




A ansiedade chega devagar

A ansiedade não avisa quando chega. Ela simplesmente vai se instalando aos poucos e quando percebe-se, os sinais agudos do transtorno já está se manifestando. Sentir uma euforia por algo importante que está por vir, ou preocupar-se com algo inesperado vez ou outra, é normal das emoções humanas. No entanto, quando tudo começa a ser motivo de preocupação antecipada e isso começa a atrapalhar a sua vida, há aí um problema que deve ser olhado com atenção. Nas fases mais agudas, a ansiedade costuma gerar falta de ar, insônia, taquicardia, medo exagerado e sensação de tragédia iminente.

 

“Do nada, sinto que os pensamentos tomam o controle sobre mim e sinto falta de ar, tremo e meu peito acelera. É uma das piores sensações que tenho, pois parece não haver motivos para isso”.

 

“Quando chego próximo a um parapeito, olho para o chão e penso em me atirar, mas não tenho coragem para isso. Mesmo assim, me imagino me jogando de lá várias vezes e parece que uma hora a vontade virá”.

 

Estes são relatos pessoas que sofrem com transtorno agudo de ansiedade. Nesses casos, o tratamento médico é necessário, pois há uma grande piora na qualidade de vida e a pessoa deixa de viver os bons momentos que a vida reserva. Mesmo com o tratamento, essa pessoa deverá mudar alguns hábitos para que essas crises não venham mais a atormentá-la. Deve-se também evitar o famoso ‘gatilho’, que é quando você começa a prestar atenção em si e verifica que tal atitude ou comportamento seu gera um estado ansioso muito forte.